BoCA SUMMER SCHOOL
Workshop com CLAUDIA CASTELLUCCI (Itália)


“O Estudo das Ondas”

Um seminário de dança ao som de sinos

Claudia Castellucci, co-fundadora com Romeo Castellucci e com Chiara e Paolo Guidi da companhia italiana de teatro Societas Raffaello Sanzio, em 1981, vem a Portugal pela primeira vez para desenvolver um workshop que combina a dança e a teoria do gesto. Predominantemente dedicada à escrita e ao ensino, Claudia Castellucci é a fundadora de várias experiências escolásticas: fundou no final nos anos 80 a Scuola Tetrica della Discesa, que propõe uma prática entre a filosofia e o teatro, e continua a escrever para várias criações de Romeo Castellucci ou sobre prática teatral.
O seminário “O Estudo das Ondas” é construído segundo um princípio rítmico que tem em conta os diversos momentos do dia. O ritmo é, de facto, a base desta dança e abre-se à escuta da parte negativa e ausente: o silêncio e a memória do som que se prolonga no tempo e que encontra novas batidas durante a sua dispersão.
Pesquisaremos o som dos sinos e a presença dos dançarinos entre as batidas e os intervalos de ritmo. Uma dança criada como som dos sinos e executada com um pau. O som dos sinos prolonga-se numa duração que acumula várias batida e se dispõe a ser refratado e expandido pelas correntes. A consistência espectral do som funda uma capacidade de escuta que conjuga a presença e a memória (uma presença que não desaparece). A sequência de batidas que continuam a flutuar no ar gera coincidências aleatórias e rítmicas, diferentes e coexistentes. Os dançarinos tratam tudo isto como uma aprendizagem.

No último dia do workshop, será feita uma apresentação pública da coreografia, no claustro do Convento das Bernardas / Museu da Marioneta, em Lisboa.

Coreografia e direção: Claudia Castellucci
Ensino da coreografia: Alessandro Bedosti


BIOGRAFIA

Claudia Castellucci é co-fundadora com Romeo Castellucci e com Chiara e Paolo Guidi da Societas Raffaello Sanzio (agora Societas), uma companhia de teatro que se estabeleceu internacionalmente pela reinvenção radical da linguagem cénica desde os anos 80. Predominantemente dedicada à escrita e ao ensino, Claudia Castellucci é a fundadora de várias experiências escolásticas. Inaugura a Scuola Tetrica della Discesa no final dos anos 80, que propõe um diálogo entre filosofia e prática teatral. A Escola Stoa, relativa ao movimento rítmico, continua e teve variações em Calla (2010) e Bordéus (2011). Desde 2015, continua a sua ideia original de uma escola concebida como obra de arte, com Mòra, dando origem a criações como “Verso la specie” e “Fisica dell’aspra comunione”(2018): a primeira é a dança que toma como modelo a métrica de poesia grega arcaica, apresentada na Bienal de Veneza; a segunda segue um padrão de movimentos derivados do “Catálogo dos Pássaros” de Olivier Messiaen. Em 2012 dedicou-se à composição e interpretação do monólogo “Il regno profondo”, uma longa confissão dividida em várias partes: “La vita delle vite”, “Il dialogo degli schiavi” e, a última, “Perché sei qui?”, com Chiara Guidi. Em 2014 fundou Cònia: uma escola de versão de técnica de representação, com a colaboração de vários professores; e em 2016 inaugurou Catalysi: uma residência escolar destinada à produção e estudos teóricos contextuais. Entre as publicações monográficas: “Uovo di bocca. Escreveu e publicou diversos livrsos, entre os quais “Les Pèlerins de la matière, théorie et praxis du théâtre”, Les Solitaires Intempestifs, 2001; e “The Theatre of Socìetas Raffaello Sanzio”, Routledge, 2007.


A QUEM SE DIRIGE

Estudantes e profissionais de dança e de teatro, com um muito bom sentido rítmico, para aprenderem uma coreografia de 35 minutos. Um apresentação pública será feita no último dia do workshop.
Máximo de 15 participantes.

INSCRIÇÕES
Pode inscrever-se até dia 30 AGO, através do preenchimento do formulário aqui.

Produção: BoCA
Parceria: Fundação GDA
Apoios: Câmara Municipal de Lisboa, Estúdios Victor Córdon

Próximos Eventos

ler mais
  • A Viagem Invertida / Barcelona

    25 outubro 2019
    Caixa Forum / Barcelona

    PEDRO BARATEIRO

    Depois da estreia mundial na BoCA 2019, a performance "A Viagem Invertida" é apresentada no contexto da exposição "En Caída Libre", com curadoria de João Laia, em Barcelona. Tem como paisagem a exploração das minas de lítio em Portugal, numa investigação que passa também pelo livro “Queda sem fim, seguido de Descida de Maleström, de Edgar Allan Poe”, de José A. Bragança de Miranda. Com interpretação de Pedro Barateiro e de Lula Pena, e música de Raw Forest.

    ler mais
  • OS ANIMAIS E O DINHEIRO / Buenos Aires

    04 dezembro 2019
    Centro Cultural San Martín, Buenos Aires

    GONÇALO M. TAVARES & OS ESPACIALISTAS

    Concebido para a bienal BoCA 2019, Gonçalo M. Tavares e os Espacialistas criaram três performances-conferências inéditas, apresentadas em salas de teatro, a partir do tema “Os Animais e o Dinheiro”. Juntos e pela primeira vez em palco, os artistas desenvolvem formas de sentir acima da média, a partir de textos, imagens, gestos, objetos e espaços em permanente construção, com o público presente.

    ler mais
  • COMO FAZER UMA MÁSCARA / Buenos Aires

    04 dezembro 2019
    Centro Cultural San Martín, Buenos Aires

    PEDRO BARATEIRO

    A performance "Como Fazer uma Máscara" de Pedro Barateiro é um monólogo, acompanhado por um conjunto de imagens projectadas, em que o artista tenta pensar a questão da máscara, através de dispositivos de linguagem e imagem e exemplos que vão da história do teatro ocidental a testes de personalidade.

    ler mais
  • Hard to be a god / Bangkok

    06 dezembro 2019 — 07 dezembro 2019
    Neilson Hays Library / Bangkok

    JOHN ROMÃO & ROMEU RUNA

    Depois da sua estreia mundial no contexto da BoCA 2017, em Lisboa, a performance “Hard to be a god” continua a sua circulação internacional e viaja agora até Bangkok. Os espectadores observam a performance através de uma janela de vidro que separa a ação de seu próprio corpo (protegido), como se fosse uma tela, enquadrando a ação exterior. Uma luta entre a natureza - em todo o seu esplendor - e a tecnologia.

    ler mais
  • OS ANIMAIS E O DINHEIRO / Santiago do Chile

    07 dezembro 2019
    Matucana 100, Santiago do Chile

    GONÇALO M. TAVARES & OS ESPACIALISTAS

    Concebido para a bienal BoCA 2019, Gonçalo M. Tavares e os Espacialistas criaram três performances-conferências inéditas, apresentadas em salas de teatro, a partir do tema “Os Animais e o Dinheiro”. Juntos e pela primeira vez em palco, os artistas desenvolvem formas de sentir acima da média, a partir de textos, imagens, gestos, objetos e espaços em permanente construção, com o público presente.

    ler mais
  • A Viagem Invertida / Santiago do Chile

    07 dezembro 2019
    Matucana 100, Santiago do Chile

    PEDRO BARATEIRO

    Depois da sua estreia mundial na BoCA 2019, a performance "A Viagem Invertida" continua em digressão internacional. "A Viagem Invertida" tem como paisagem a exploração das minas de lítio em Portugal, numa investigação que passa também pelo livro “Queda sem fim, seguido de Descida de Maleström, de Edgar Allan Poe”, de José A. Bragança de Miranda. Com interpretação de Pedro Barateiro e música de Raw Forest.

    ler mais
  • Cattivo

    18 fevereiro 2020 — 23 fevereiro 2020
    São Luiz Teatro Municipal, Lisboa

    MARLENE MONTEIRO FREITAS

    Na edição BoCA 2019, a bailarina e coreógrafa Marlene Monteiro Freitas transgrediu a sua prática e criou “Cattivo”, a sua primeira (mega) instalação composta por centenas de estantes de partitura, que são exploradas até ao limite das suas propriedades expressivas. Assistimos à capacidade de encarnarem estados emocionais e de tomarem decisões, manipulando-se a si mesmas e a outros objetos. Agora é a oportunidade única de descobrir a adaptação desta criação ao SLTM.

    ler mais