Guardadores de um arquivo do obscuro, a arte que a dupla de artistas Von Calhau! cria é gerada pelo mistério da evidência. Os Von Calhau! deixam-se levar por uma ligação profunda, por vezes quase primitiva, ao mundo que habitam.

Mergulham na caverna de Platão para, por entre a escuridão, com um tempo/ritmo distinto do real, acederem a uma visão única do que os rodeia. A luz que antevêem da caverna representa um trazer à superfície algo desconhecido, estranho ou simplesmente obscuro.

Seja em concertos, performances, exposições, instalações, vídeos ou uma contaminação destes géneros, a sua identidade é serem artistas, criadores, intermediários entre a dimensão do desconhecido e a materialização, até quando por via da efemeridade das artes performativas, de algo que passa a existir no mundo, mesmo que mantendo uma expressão de enigma.

Nesta sua ‘tautaulogia’, na miríade de questões que se desdobram para quem entra na obra como entra num labirinto, uma das interrogações que colocam em “Tau Tau” é: e se a cópia for na verdade o original?

 

 

Direção, conceção plástica e performance Von Calhau!
Colaboração Vasco Alves
Residência artística O Espaço do Tempo (Montemor-o-Novo)
Co-produção BoCA
Apoio Artistas Unidos / Teatro da Politécnica

 

Biografia

 

Próximos Eventos

ler mais
  • ECOTEMPORÂNEOS: Mamadou Ba

    10 abril 2021
    Museu de Lisboa - Palácio Pimenta

    ECOTEMPORÂNEOS

    Ecotemporâneos é um projeto que relaciona a literatura com os espaços verdes da cidade de Lisboa. Aberta, inclusiva e acessível, em cada sessão um novo convidado escolhe um livro e liga-o ao espaço verde onde o público reúne. Conta com a presença de um intérprete de LGP e da impressão de livros em braille.

    Convidada: Mamadou Ba (ativista político, tradutor, dirigente SOS Racismo)
    Livro escolhido: "Erosão" de Gisela Casimiro
    Espaço verde: Jardim do Museu de Lisboa

    ler mais
  • ECOTEMPORÂNEOS: Beatriz Batarda

    24 abril 2021
    Museu de Lisboa - Palácio Pimenta

    ECOTEMPORÂNEOS

    Ecotemporâneos é um projeto que relaciona a literatura com os espaços verdes da cidade de Lisboa. Aberta, inclusiva e acessível, em cada sessão um novo convidado escolhe um livro e liga-o ao espaço verde onde o público reúne. Conta com a presença de um intérprete de LGP e da impressão de livros em braille.

    Convidada: Beatriz Batarda (atriz)
    Livro escolhido: "Caderno de Memórias Coloniais" de Isabela Figueiredo
    Espaço verde: Jardim do Museu de Lisboa

    ler mais