Vídeo–instalação baseado na performance “Shirtology” (1997), criado para a inauguração do Centre Pompidou de Málaga, em 2015, e que integra a sua coleção de vídeo-arte. No vídeo, vemos um performer e uma coleção de t-shirts, que são despidas umas após as outras para apresentar mensagens diferentes.

O trabalho de Bel explora a relação entre a coreografia e a cultura popular, e entre o bailarino e o espectador, utilizando frequentemente o humor como mecanismo para quebrar a formalidade do ambiente teatral.

O seu interesse centra-se no difuso ponto de encontro entre o físico e o filosófico – o próprio corpo e o processo de construção da sua presença, o processo de linguagem e a relação da linguagem com os objetos (animados e inanimados), o processo através do qual se constrói a narrativa (ou o sentido), pela apresentação de objetos no tempo e no espaço.

Tão lúdica quando minimalista, “Shirtology” é “apenas” uma questão de apresentação da pessoa e de t-shirt, repletas de slogans, logos, números, datas, caras, piadas, avisos, exigências.

Jérôme Bel foi o artista convidado da sessão de apresentação da BoCA, a 6 de fevereiro, no Teatro Nacional D. Maria II.

 

 

Shirtology (1997)

 

Conceito Jérôme Bel
Um filme de Jérôme Bel
Câmara Aldo Lee
Com Frédéric Seguette
Coprodução da performance  Centro Cultural de Belém (Lisboa), Victoria (Gand), R.B. Jérôme Bel (Paris)
Realização com o apoio de Centre Pompidou (Paris)
Distribuição R.B. Jérôme Bel (www.jeromebel.fr)
Apoio à apresentação Institut Français / Embaixada de França – Apoio no âmbito do foco sobre a criação contemporânea francesa em 2017

R.B. Jérôme Bel é apoiado pela Direction regionale des affaires culturelles d’Ile-de-France (Ministério francês para a Cultura e Comunicação) e pelo Institut Français (Ministério francês dos Negócios Estrangeiros) nas digressões internacionais.

Próximos Eventos

ler mais
  • ECOTEMPORÂNEOS: Beatriz Batarda

    17 abril 2021
    Museu de Lisboa - Palácio Pimenta

    ECOTEMPORÂNEOS

    Ecotemporâneos é um projeto que relaciona a literatura com os espaços verdes da cidade de Lisboa. Aberta, inclusiva e acessível, em cada sessão um novo convidado escolhe um livro e liga-o ao espaço verde onde o público reúne. Conta com a presença de um intérprete de LGP.

    Convidada: Beatriz Batarda (atriz)
    Livro escolhido: "Caderno de Memórias Coloniais" de Isabela Figueiredo
    Espaço verde: Jardim do Palácio Pimenta, Museu de Lisboa (online)

    ler mais