Há alguns anos, o crítico de música Dominic Gill fez uma comparação curiosa entre o trabalho da compositora russa Sofia Gubaidulina e os princípios do encenador polaco Jerzy Grotowski, que escreveu uma das bíblias da prática teatral, “Teatro Pobre”.

Roubada essa referência, Gill propôs dizer que Sofia Gubaidulina escrevia “Música Pobre”. O que Gill queria provavelmente dizer era que a “pobreza” marca a música de Gubaidulina, no sentido de gerar uma enorme energia e concentração, reforçando a fragilidade do som, suspiros e gemidos, pedaços do canto ortodoxo da Rússia, simples e gigantes uníssonos, arrepios e tremores como se se tratasse de um filme.

Ao longo de 6 meses, alunos de três escolas de música do país participam neste projeto de formação e de criação artística, dirigido por Filipa Francisco (coreógrafa), Pedro Tudela (artista plástico e sonoro), Paulo Raposo e Filipe Reis (antropólogos) e José Luís Bento Coelho (engenheiro acústico) e Vera Mantero (coreógrafa).

As apresentações públicas do resultado deste encontro terão lugar no salão nobre do Teatro Nacional D. Maria II (Lisboa), Teatro Nacional São João (Porto) e Cine-Teatro Avenida (Castelo Branco).

 

Direção artística da criação Filipa Francisco, Pedro Tudela
Formadores Filipa Francisco, Filipe Reis, José Luís Bento Coelho, Paulo Raposo, Pedro Tudela, Vera Mantero
Alunos Adriana Martins Fernandes, Cíntia Filomena Paiva, Francisco Alpoim, Francisca Bonacho, Gonçalo Filipe da Luz Fernandes, Henrique Laurett, João Vicente, Leonie Asamoah, Liliyana Toma, Lucas Rei Ramos, Rúben Borges, Solange Miranda Azevedo, Vigdis Hansa Elst
Parceria Escola de Música do Conservatório Nacional (Lisboa), Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo (Porto), Escola Superior de Artes Aplicadas (Castelo Branco)
Fotografias Bruno Simão
Produção BoCA
Co-produção Colectivo 84, Cine-Teatro Avenida, Teatro Nacional D. Maria II, Teatro Nacional São João
Apoio Fundação GDA
Projeto apoiado pelo Ministério da Cultura / Direção Geral das Artes


Mecenas exclusivo do programa educativo da BoCA.

Biografias

Próximos Eventos

ler mais
  • ECOTEMPORÂNEOS: Patrícia Portela

    27 junho 2021
    Palácio do Marquês de Alegrete

    ECOTEMPORÂNEOS

    Ecotemporâneos é um projeto que relaciona a literatura com os espaços verdes da cidade de Lisboa. Aberta, inclusiva e acessível, em cada sessão um novo convidado escolhe um livro e liga-o ao espaço verde onde o público reúne. Conta com a presença de um intérprete de LGP e da impressão de livros em braille.

    Convidada: Patrícia Portela (encenadora, escritora)
    Livro escolhido: "As barbas do diabo" Julio Cortázar
    Espaço verde: Palácio do Marquês de Alegrete

    ler mais
  • ECOTEMPORÂNEOS: Hugo van der Ding

    27 junho 2021
    Casa da Cerca

    ECOTEMPORÂNEOS

    Ecotemporâneos é um projeto da BoCA que relaciona literatura com os espaços verdes. Aberta, inclusiva e acessível, em cada sessão um novo convidado escolhe um livro e liga-o ao espaço verde onde o público reúne. Conta com a presença de um intérprete de LGP.

    Convidado: Hugo van der Ding (Cartoonista, Cronista)
    Livro escolhido: "Platero e Eu" de Juan Ramón Jiménez
    Espaço verde: Jardim da Casa da Cerca, Almada

    ler mais
  • Na direção da luz

    01 julho 2021 — 31 julho 2021
    Teatro Camões

    HORÁCIO FRUTUOSO

    “Na direção da Luz” é uma intervenção site-specific do artista Horácio Frutuoso para o foyer do Teatro Camões (CNB), dinamizada pela BoCA. Um conjunto de poemas visuais sugerem uma ideia de movimento, de transformação das palavras e do espaço onde estão instalados pela luz.

    1 a 31 Julho 2021

    ler mais