Há alguns anos, o crítico de música Dominic Gill fez uma comparação curiosa entre o trabalho da compositora russa Sofia Gubaidulina e os princípios do encenador polaco Jerzy Grotowski, que escreveu uma das bíblias da prática teatral, “Teatro Pobre”.

Roubada essa referência, Gill propôs dizer que Sofia Gubaidulina escrevia “Música Pobre”. O que Gill queria provavelmente dizer era que a “pobreza” marca a música de Gubaidulina, no sentido de gerar uma enorme energia e concentração, reforçando a fragilidade do som, suspiros e gemidos, pedaços do canto ortodoxo da Rússia, simples e gigantes uníssonos, arrepios e tremores como se se tratasse de um filme.

Ao longo de 6 meses, alunos de três escolas de música do país participam neste projeto de formação e de criação artística, dirigido por Filipa Francisco (coreógrafa), Pedro Tudela (artista plástico e sonoro), Paulo Raposo e Filipe Reis (antropólogos) e José Luís Bento Coelho (engenheiro acústico) e Vera Mantero (coreógrafa).

As apresentações públicas do resultado deste encontro terão lugar no salão nobre do Teatro Nacional D. Maria II (Lisboa), Teatro Nacional São João (Porto) e Cine-Teatro Avenida (Castelo Branco).

 

Direção artística da criação Filipa Francisco, Pedro Tudela
Formadores Filipa Francisco, Filipe Reis, José Luís Bento Coelho, Paulo Raposo, Pedro Tudela, Vera Mantero
Alunos Adriana Martins Fernandes, Cíntia Filomena Paiva, Francisco Alpoim, Francisca Bonacho, Gonçalo Filipe da Luz Fernandes, Henrique Laurett, João Vicente, Leonie Asamoah, Liliyana Toma, Lucas Rei Ramos, Rúben Borges, Solange Miranda Azevedo, Vigdis Hansa Elst
Parceria Escola de Música do Conservatório Nacional (Lisboa), Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo (Porto), Escola Superior de Artes Aplicadas (Castelo Branco)
Fotografias Bruno Simão
Produção BoCA
Co-produção Colectivo 84, Cine-Teatro Avenida, Teatro Nacional D. Maria II, Teatro Nacional São João
Apoio Fundação GDA
Projeto apoiado pelo Ministério da Cultura / Direção Geral das Artes


Mecenas exclusivo do programa educativo da BoCA.

Biografias

Próximos Eventos

ler mais
  • A Viagem Invertida / Barcelona

    25 outubro 2019
    Caixa Forum / Barcelona

    PEDRO BARATEIRO

    Depois da estreia mundial na BoCA 2019, a performance "A Viagem Invertida" é apresentada no contexto da exposição "En Caída Libre", com curadoria de João Laia, em Barcelona. Tem como paisagem a exploração das minas de lítio em Portugal, numa investigação que passa também pelo livro “Queda sem fim, seguido de Descida de Maleström, de Edgar Allan Poe”, de José A. Bragança de Miranda. Com interpretação de Pedro Barateiro e de Lula Pena, e música de Raw Forest.

    ler mais
  • COMO FAZER UMA MÁSCARA / Buenos Aires

    04 dezembro 2019
    Centro Cultural San Martín, Buenos Aires

    PEDRO BARATEIRO

    A performance "Como Fazer uma Máscara" de Pedro Barateiro é um monólogo, acompanhado por um conjunto de imagens projectadas, em que o artista tenta pensar a questão da máscara, através de dispositivos de linguagem e imagem e exemplos que vão da história do teatro ocidental a testes de personalidade.

    ler mais
  • OS ANIMAIS E O DINHEIRO / Buenos Aires

    04 dezembro 2019
    Centro Cultural San Martín, Buenos Aires

    GONÇALO M. TAVARES & OS ESPACIALISTAS

    Concebido para a bienal BoCA 2019, Gonçalo M. Tavares e os Espacialistas criaram três performances-conferências inéditas, apresentadas em salas de teatro, a partir do tema “Os Animais e o Dinheiro”. Juntos e pela primeira vez em palco, os artistas desenvolvem formas de sentir acima da média, a partir de textos, imagens, gestos, objetos e espaços em permanente construção, com o público presente.

    ler mais
  • Hard to be a god / Bangkok

    06 dezembro 2019 — 07 dezembro 2019
    Neilson Hays Library / Bangkok

    JOHN ROMÃO & ROMEU RUNA

    Depois da sua estreia mundial no contexto da BoCA 2017, em Lisboa, a performance “Hard to be a god” continua a sua circulação internacional e viaja agora até Bangkok. Os espectadores observam a performance através de uma janela de vidro que separa a ação de seu próprio corpo (protegido), como se fosse uma tela, enquadrando a ação exterior. Uma luta entre a natureza - em todo o seu esplendor - e a tecnologia.

    ler mais
  • A Viagem Invertida / Santiago do Chile

    07 dezembro 2019
    Matucana 100, Santiago do Chile

    PEDRO BARATEIRO

    Depois da sua estreia mundial na BoCA 2019, a performance "A Viagem Invertida" continua em digressão internacional. "A Viagem Invertida" tem como paisagem a exploração das minas de lítio em Portugal, numa investigação que passa também pelo livro “Queda sem fim, seguido de Descida de Maleström, de Edgar Allan Poe”, de José A. Bragança de Miranda. Com interpretação de Pedro Barateiro e música de Raw Forest.

    ler mais
  • OS ANIMAIS E O DINHEIRO / Santiago do Chile

    07 dezembro 2019
    Matucana 100, Santiago do Chile

    GONÇALO M. TAVARES & OS ESPACIALISTAS

    Concebido para a bienal BoCA 2019, Gonçalo M. Tavares e os Espacialistas criaram três performances-conferências inéditas, apresentadas em salas de teatro, a partir do tema “Os Animais e o Dinheiro”. Juntos e pela primeira vez em palco, os artistas desenvolvem formas de sentir acima da média, a partir de textos, imagens, gestos, objetos e espaços em permanente construção, com o público presente.

    ler mais
  • Cattivo

    18 fevereiro 2020 — 23 fevereiro 2020
    São Luiz Teatro Municipal, Lisboa

    MARLENE MONTEIRO FREITAS

    Na edição BoCA 2019, a bailarina e coreógrafa Marlene Monteiro Freitas transgrediu a sua prática e criou “Cattivo”, a sua primeira (mega) instalação composta por centenas de estantes de partitura, que são exploradas até ao limite das suas propriedades expressivas. Assistimos à capacidade de encarnarem estados emocionais e de tomarem decisões, manipulando-se a si mesmas e a outros objetos. Agora é a oportunidade única de descobrir a adaptação desta criação ao SLTM.

    ler mais