Romeo Castellucci apresentou-nos o masoquismo e a crueldade nos clássicos mais intocáveis. Depois de estrear em 1997 uma polémica versão de “Júlio César” que surpreendeu a Europa, Castellucci apresenta agora uma versão sintetizada e destinada a espaços não-convencionais. Neste drama da voz, encontramos duas personagens misteriosas: “…vski”, uma espécie de Stanislavski, e Marco António, interpretado por um ator com laringectomia.

Enquanto o primeiro filma com um endoscópio a vibração das suas cordas vocais, mostrando a origem sexual da palavra e o encaminhamento da palavra livre e da voz, instrumento do ator e da arte da oratória; o segundo inicia a partir do esófago o seu apelo ao povo, numa meditação sobre a mortalidade e o seu significado. Os corpos-estátuas dos intérpretes são literalmente virados do avesso.

Combinando elementos que provêem da escultura, da tecnologia e do mundo animal, Romeo Castellucci desobedece uma vez mais às convenções e limites das disciplinas, colocando estes dois representantes complementares da oratória no coração de um “Júlio César” renascido. Tocando na democracia, na retórica e no ritual, este é encontro visceral com um teatro tão perturbador quanto transcendente.

 

 

Intervenção dramática sobre William Shakespear

Conceção e direção Romeo Castellucc
Com Gianni Plazzi, Sergio Scarlatella, Maurizio Cerasoli e com Paulo Ferreira e Joaquim Martins
Assistente de Direção Silvano Voltolina
Técnico de Som Nicola Ratti
Gestão de Produção Benedetta Briglia
Promoção e Comunicação Valentina Bertolino, Gilda Biasini, Giulia Colla
Administração Michela Medri, Elisa Bruno, Simona Barducci
Consultor Económico Massimiliano Coli
Produção Socìetas
No âmbito de “e a raposa disse ao corvo. Curso de linguística geral”
Projeto Especial da Cidade de Bolonha 2014

Apoios à apresentação Teatro Nacional São JoãoInstituto Italiano de Cultura, BoCA

 

 

Biografia

Próximos Eventos

ler mais
  • A Viagem Invertida / Barcelona

    25 outubro 2019
    Caixa Forum / Barcelona

    PEDRO BARATEIRO

    Depois da estreia mundial na BoCA 2019, a performance "A Viagem Invertida" é apresentada no contexto da exposição "En Caída Libre", com curadoria de João Laia, em Barcelona. Tem como paisagem a exploração das minas de lítio em Portugal, numa investigação que passa também pelo livro “Queda sem fim, seguido de Descida de Maleström, de Edgar Allan Poe”, de José A. Bragança de Miranda. Com interpretação de Pedro Barateiro e de Lula Pena, e música de Raw Forest.

    ler mais
  • OS ANIMAIS E O DINHEIRO / Buenos Aires

    04 dezembro 2019
    Centro Cultural San Martín, Buenos Aires

    GONÇALO M. TAVARES & OS ESPACIALISTAS

    Concebido para a bienal BoCA 2019, Gonçalo M. Tavares e os Espacialistas criaram três performances-conferências inéditas, apresentadas em salas de teatro, a partir do tema “Os Animais e o Dinheiro”. Juntos e pela primeira vez em palco, os artistas desenvolvem formas de sentir acima da média, a partir de textos, imagens, gestos, objetos e espaços em permanente construção, com o público presente.

    ler mais
  • COMO FAZER UMA MÁSCARA / Buenos Aires

    04 dezembro 2019
    Centro Cultural San Martín, Buenos Aires

    PEDRO BARATEIRO

    A performance "Como Fazer uma Máscara" de Pedro Barateiro é um monólogo, acompanhado por um conjunto de imagens projectadas, em que o artista tenta pensar a questão da máscara, através de dispositivos de linguagem e imagem e exemplos que vão da história do teatro ocidental a testes de personalidade.

    ler mais
  • Hard to be a god / Bangkok

    06 dezembro 2019 — 07 dezembro 2019
    Neilson Hays Library / Bangkok

    JOHN ROMÃO & ROMEU RUNA

    Depois da sua estreia mundial no contexto da BoCA 2017, em Lisboa, a performance “Hard to be a god” continua a sua circulação internacional e viaja agora até Bangkok. Os espectadores observam a performance através de uma janela de vidro que separa a ação de seu próprio corpo (protegido), como se fosse uma tela, enquadrando a ação exterior. Uma luta entre a natureza - em todo o seu esplendor - e a tecnologia.

    ler mais
  • OS ANIMAIS E O DINHEIRO / Santiago do Chile

    07 dezembro 2019
    Matucana 100, Santiago do Chile

    GONÇALO M. TAVARES & OS ESPACIALISTAS

    Concebido para a bienal BoCA 2019, Gonçalo M. Tavares e os Espacialistas criaram três performances-conferências inéditas, apresentadas em salas de teatro, a partir do tema “Os Animais e o Dinheiro”. Juntos e pela primeira vez em palco, os artistas desenvolvem formas de sentir acima da média, a partir de textos, imagens, gestos, objetos e espaços em permanente construção, com o público presente.

    ler mais
  • A Viagem Invertida / Santiago do Chile

    07 dezembro 2019
    Matucana 100, Santiago do Chile

    PEDRO BARATEIRO

    Depois da sua estreia mundial na BoCA 2019, a performance "A Viagem Invertida" continua em digressão internacional. "A Viagem Invertida" tem como paisagem a exploração das minas de lítio em Portugal, numa investigação que passa também pelo livro “Queda sem fim, seguido de Descida de Maleström, de Edgar Allan Poe”, de José A. Bragança de Miranda. Com interpretação de Pedro Barateiro e música de Raw Forest.

    ler mais
  • Cattivo

    18 fevereiro 2020 — 23 fevereiro 2020
    São Luiz Teatro Municipal, Lisboa

    MARLENE MONTEIRO FREITAS

    Na edição BoCA 2019, a bailarina e coreógrafa Marlene Monteiro Freitas transgrediu a sua prática e criou “Cattivo”, a sua primeira (mega) instalação composta por centenas de estantes de partitura, que são exploradas até ao limite das suas propriedades expressivas. Assistimos à capacidade de encarnarem estados emocionais e de tomarem decisões, manipulando-se a si mesmas e a outros objetos. Agora é a oportunidade única de descobrir a adaptação desta criação ao SLTM.

    ler mais