O palco da Sala Garrett do Teatro Nacional D. Maria II transforma-se para receber uma exposição de artes visuais. João Maria Gusmão & Pedro Paiva trabalham em conjunto desde 2001, produzindo filmes, esculturas, fotografias, instalações e antologias de textos que eles próprios descrevem como “ficção poético-filosófica”.

O trabalho de Gusmão e Paiva chama a atenção para a realidade e para o aparecimento da realidade, já que a maioria dos seus filmes são registados em alta velocidade antes de serem projetados em câmera lenta, revelando detalhes normalmente imperceptíveis. Em “Avantesma Fantasma”, este efeito fantasmagórico dialoga com a arquitetura do palco do D. Maria II.

O espetador é convidado a deambular num labirinto de imagens em movimento. Nestas projeções de 16mm podemos encontrar uma representação de teatro Noh, em que o fantasma de um demónio procura explicar o irrepresentável, a experiência da sua própria morte; passageiros adormecidos, filmados em câmara lenta, num Shinkansen (comboio bala) que liga Quioto a Tóquio a 500 km/h, mostrando um mundo detrás das janelas do veículo que parece estar enfeitiçado por uma aceleração contraditória; um projetor filmado a 2000 imagens por segundo, que projeta a sua própria projeção contra um espelho invisível; ou vemos máquinas de cinema por onde imagens aparecem e desaparecem.

 

Produção Francisca Bagulho
Co-produção BoCA, Teatro Nacional D. Maria II
Fotografias Bruno Simão / BoCA

 

Pavão (nue), 2016
Filme 16mm, cor, sem som, 26:30 MIN

com Madoka Mikata, Ryouichi Arimatsu, Yoshinobu Shigeyama, Yasunori Morita, Kodo Sowa, Hisato Ibayashi, Mitsunori Maekawa, Kazushige Kawamura, Hiromichi Tamoi, Hiroyuki Matsuno, Kazutaka Kawamura, Kazushige Kawamura, Chisato Juge, Soichiro Hayashi

Apoio: Kyoto Art Center

 

Projector (camera test), 2016
Filme 16mm, cor, sem som, 3’00’’

Co-produção: Aargauer Kunsthaus, Aarau, SeMA Biennale Mediacity Seoul 2016

 

Dormindo num comboio bala, 2015
Filme 16mm, cor, sem som, 8’02’’

Comissionado: REDCAT, Los Angeles
Agradecimentos: Kadist Art Foundation, Taguchi Art Collection

 

(Pavão) Época de acasalamento, 2016
Filme 16mm, cor, sem som, 15’28’’

Co-produção: Haus der Kunst, Munich, Alemanha

 

O Homem Sombra, 2006-07
Filme 16mm, cor, sem som, 1’40’’

Co-produção: ZDB, Lisboa e Trienal de Luanda, Angola

Agradecimentos: DGArtes, Ministério da Cultura, Portugal e MUSAC, Leon

 

Pote mais pequeno que pote, 2010
Filme de 16mm, cor, sem som, 2’25’’

 

3 Sóis, 2009
Filme 16mm, cor, sem som, 0’50’’

Representação Oficial Portuguesa na 53ª Bienal de Veneza, DGArtes, Ministério da Cultura, Portugal

 

Biografia

 

Próximos Eventos

ler mais
  • SÉANCE – Lisboa

    24 abril 2019 — 27 abril 2019
    ZDB, Lisboa

    MARIANA TENGNER BARROS

    "Séance" é uma performance intimista, para 3 a 10 espetadores de cada vez, em sessões únicas e contínuas com duração de 30 minutos. Mariana Tengner Barros mergulha esteticamente na era Victoriana, buscando referências no movimento Espírita, que surgiu no séc. XIX, simultaneamente com o movimento feminista e como reação à revolução industriall. O corpo surge assim como veículo para aceder às “mensagens”, ao discurso histérico.

    ler mais
  • SENTE-ME, OUVE-ME, VÊ-ME

    26 abril 2019
    Museu Dom Diogo de Sousa, Braga

    Projeto de formação e criação musical a partir da obra de HELENA ALMEIDA

    O projeto homenageia, através da música contemporânea, uma das maiores artistas do século XX e XXI, Helena Almeida (1934-2018). Reunindo alunos da Escola Superior de Música de Lisboa, da Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo (Porto) e da Universidade do Minho (Braga), jovens compositores criam novas obras a partir da série homónima de H. Almeida. O resultado: um concerto que junta alunos das três universidades.

    ler mais
  • LO FRÍO Y LO CRUEL

    26 abril 2019 — 27 abril 2019
    Mosteiro de Tibães, Braga

    ANGÉLICA LIDDELL

    Em estreia mundial, para a sua nova criação, Angélica Liddell parte da narrativa de Sacher-Masoch e da de Marquês de Sade, e do texto "O Frio e o Cruel" (1967) de Gilles Deleuze. Liddell foca-se na parte literária e artística das perversões, afastadas de qualquer explicação clínica, onde é destacada a expressão poética que vai além de qualquer fronteira ou disciplina artística, para apresentar as relações entre pai e filha.

    ler mais
  • VOLUTA

    26 abril 2019 — 30 abril 2019
    Mosteiro de Tibães, Braga

    JOÃO PAIS FILIPE

    Para a transparente Casa do Volfrâmio, no Mosteiro de Tibães (Braga), João Pais Filipe projecta a sua primeira instalação. Uma instalação circular de gongos, que se suspendem como objetos escultóricos, que podem ser ativados sonoramente pelos visitantes e que conhecerá dois momentos de concerto-performance ao vivo de interação física entre o músico e os seus instrumentos-esculturas.

    ler mais
  • PIANO INTERPRETATIONS

    27 abril 2019
    Carpintarias de São Lázaro, Lisboa

    KUKURUZ QUARTET tocam JULIUS EASTMAN e MARCEL ZAES

    O quarteto de pianistas Kukuruz Quartet traz pela primeira vez a Portugal a música do compositor minimalista Julius Eastman (1940-1990). Afro-americano e gay, a obra de Eastman, com composições como "Nigger Fagot", "Crazy Nigger" ou "Gay Guerilla", são um confronto público e social agressivo, contrapondo com as obras meditativas. Conheceremos também "Quartet No.10" do compositor suíço Marcel Zaes.

    ler mais
  • SENTE-ME, OUVE-ME, VÊ-ME

    28 abril 2019
    Casa das Artes, Porto

    Projeto de formação e criação musical a partir da obra de HELENA ALMEIDA

    O projeto homenageia, através da música contemporânea, uma das maiores artistas do século XX e XXI, Helena Almeida (1934-2018). Reunindo alunos da Escola Superior de Música de Lisboa, da Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo (Porto) e da Universidade do Minho (Braga), jovens compositores criam novas obras a partir da série homónima de H. Almeida. O resultado: um concerto que junta alunos das três universidades.

    ler mais
  • SENTE-ME, OUVE-ME, VÊ-ME

    29 abril 2019
    Teatro Nacional São Carlos, Lisboa

    Projeto de formação e criação musical a partir da obra de HELENA ALMEIDA

    O projeto homenageia, através da música contemporânea, uma das maiores artistas do século XX e XXI, Helena Almeida (1934-2018). Reunindo alunos da Escola Superior de Música de Lisboa, da Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo (Porto) e da Universidade do Minho (Braga), jovens compositores criam novas obras a partir da série homónima de H. Almeida. O resultado: um concerto que junta alunos das três universidades.

    ler mais
  • Pajubá

    30 abril 2019
    Lux/Frágil, Lisboa

    LINN DA QUEBRADA

    Linn da Quebrada é uma cantora transexual, compositora e artista multimédia. O seu álbum, "Pajubá", significa um dialeto falado pela comunidade gay e simpatizantes, no Rio de Janeiro, como forma de sobrevivência contra a violência da rua. Com um poder lírico incisivo e frequentemente humorístico, ela aborda questões como a violência, a pobreza, a política do corpo, o sexo, o desejo e as lutas diárias das mulheres trans brasileiras.

    ler mais
  • SCOTOMA CINTILANTE

    30 abril 2019
    Teatro Nacional São Carlos, Lisboa

    JONATHAN ULIEL SALDANHA

    Jonathan Saldanha desenvolve um projeto de investigação que surge a convite da Escola das Artes – UCP para o desenvolvimento de uma peça vocal que reflete os arquétipos da paixão de Cristo. "Scotoma Cintilante" parte de uma mundivisão onde a relação tátil com a matéria inanimada é a fonte primordial da construção do som.
    Integrando uma escultura e um coro de cegos, este concerto-performance inscreve-se entre matéria e anima, pré-linguagem e superfície.

    ler mais