PORTUGAL
Nova Criação – Concerto
“Anjo Solidão”

Gabriel Ferrandini é mais do que uma promessa cumprida de um baterista da música contemporânea portuguesa. O artista e músico extravasou amplamente esse território para se afirmar vulnerável e visceralmente curioso ao mundo em redor, sempre com a música a marcar o compasso de uma visão de arte total, onde a dimensão poética se insinua. 

Em 2019, na bienal BoCA, estreou-se com uma primeira criação de palco, “Rosa. Espinho. Dureza”, numa torrente de energia com dramaturgia cénica organizada em três atos: o Trabalho, o Sexo e o Amor. Entretanto, colabora com artistas visuais, desenvolve as suas ideias em improvisações coletivas e vai encontrando o caminho e a paisagem de uma relação de intimidade e sensualidade, cheia de tempestades, entre a criação sonora e a sua materialização física, visual e performativa. 

No momento em que lança “Hair of the Dog”, a sua estreia a solo, Gabriel Ferrandini traz ao anfiteatro ao ar livre da Fundação Champalimaud uma performance que traduz precisamente esse estado de abertura a novas experiências artísticas: com o Coro Gulbenkian explora as possibilidades contemporâneas do canto lírico, com as vozes a sucederem-se em loops sucessivos (cânone), suscitando questões de memória, armadilhas e libertação (conceitos relacionados com a expressão Anglo-Saxónica de “Hair of The Dog”, ou seja, nada como começar o dia com uma bebida para tratar uma manhã de ressaca…).

Em “Anjo Solidão”, Gabriel explora os contrastes entre o acústico e os sons amplificados, criando cruzamentos entre o seu kit de bateria com pedais de volume, sub-graves, baixas frequências e feedbacks. Nesta nova experiência no campo da performance musical, a concepção dramatúrgica integra, com um papel central, uma escultura concebida pelo artista visual Vasco Futscher. O material de síntese digital é trabalhado por Miguel Abras, produtor de “Hair of The Dog”, e Hélder Nelson é responsável pelo desenho de som.


Composição, direção artística, bateria e amplificadores: Gabriel Ferrandini
Coralistas do Coro Gulbenkian:
Sopranos / Carla Frias e Sara Afonso
Tenor / Sérgio Fontão
Barítonos / José Bruto da Costa e Tiago Batista
Síntese digital: Miguel Abreu
Escultura: Vasco Futscher
Desenho e operação de som: Helder Nelson
Produção: BoCA
Parceria: Fundação Champalimaud, Gulbenkian Música / Fundação Calouste Gulbenkian
Apoio BoCA: Direção-Geral das Artes

“Anjo Solidão” é uma comissão da BoCA Bienal de Artes Contemporâneas 2021

Próximos Eventos

ler mais
  • O Barco

    08 julho 2022
    Khunstalle Baden Baden

    GRADA KILOMBA

    A primeira instalação de grande escala de Grada Kilomba viaja até à Praça de Margarida Xirgu, frente ao Teatro Lliure, em Barcelona. Composta por 140 blocos de madeira queimada, convida o público a entrar num jardim da memória, no qual poemas descansam sobre blocos de madeira queimada, lembrando histórias e identidades esquecidas. Que histórias são contadas? Onde são contadas? Como são contadas? E contadas por quem? São questões que se colocam ao entrar nesta instalação.

    +
  • Trouble

    24 agosto 2022 — 27 agosto 2022
    Kampnagel, Hamburg

    GUS VAN SANT

    O realizador de cinema Gus Van Sant aventura-se na sua primeira criação de palco com uma equipa portuguesa, um espetáculo de teatro musical inspirado em Andy Warhol e no seu esmagador talento para elevar a ícone as imagens, ao mesmo tempo que escalava como persona e artista a um estatuto de celebridade mundial.

    +
  • Trouble

    15 dezembro 2022 — 18 dezembro 2022
    La Villette, Paris

    GUS VAN SANT

    O realizador de cinema Gus Van Sant aventura-se na sua primeira criação de palco com uma equipa portuguesa, um espetáculo de teatro musical inspirado em Andy Warhol e no seu esmagador talento para elevar a ícone as imagens, ao mesmo tempo que escalava como persona e artista a um estatuto de celebridade mundial.

    +