BoCA Summer School

Workshop com Angélica Liddell (Espanha)

 “A ELOQUÊNCIA DA FERIDA ou A TRAGÉDIA DA LIBERDADE: A TRANSGRESSÃO”

 

No palco e em cada uma de suas propostas artísticas, Angélica Liddell, um dos maiores nomes do teatro europeu, é ao mesmo tempo autora, encenadora, cenógrafa e atriz. Declina as palavras da dor, entre confissões íntimas e poderosas imprecações, afirmando que “tudo passa pelo corpo para alcançar o espírito”. E nada parece impedir que ele mergulhe profundamente no inexplicável e no inexprimível. Tudo o que se esconde nas zonas mais sombrias do ser humano, nas zonas mais perigosas de atravessar, constitui para Angélica Liddell a base para revelar uma beleza que pode salvar. Totalmente investida no cerimonial que inventa em palco, Angélica Liddell surpreende recusando-se a “fingir com a verdade” e organizando meticulosamente o caos.

A tragédia da liberdade é podemos escolher entre o bem e o mal. A civilização é repressora desde que nasce. A transgressão é um ato trágico porque viola a lei da vida opondo-se à vida calculada e à razão. As primeiras proibições aplicam-se sobre o corpo por ser o corpo a residência do sexo e da existência, porque o corpo pode foder e pode dormir. O criminoso e o artista são irmãos, à exceção de que o artista viola a lei da vida mediante um ato poético que nasce da mesma ferida profunda que atormenta o criminoso. Por isso, o ato transgressor é ordem pura que nasce do caos. Arte e vida. Matar-se ou matar. A arte não é moral, não é puritana, a arte consiste em não censurar os instintos nem os desejos, mas transforma-los em algo belo. Revoltar-se contra a lei do estado mediante a lei da beleza.

Angélica Liddell

 

Biografia da artista

 

Materiais: cada participante trabalhará com a biografia de um assassino com que se identifique.
Leitura recomendada: “A Letra Escarlate” de Nathaniel Hawthorne. Qual é a tua letra escarlate?
Filme recomendado: “Saló ou Os 120 Dias de Sodoma” de Pier Paolo Pasolini

A quem se destina: jovens entre 20-35 anos (sexo masculino), com ou sem experiência em artes performativas.

Inscrições: os candidatos devem enviar até 30 de agosto um email para info@bocabienal.org com os seguintes materiais (em um só email):
1) Nome, data de nascimento, contato telefónico, fotografia, biografia e carta de motivação (máx. 1 página) num só documento pdf;
2) Vídeo de aproximadamente 2-3 minutos (gravado com o telemóvel ou no computador, por exemplo) onde transformam em objeto poético (e revelador) os crimes da condessa Isabel Báthory;
3) Em 4 linhas, resumir o conceito que sustenta a proposta estética do vídeo apresentado.

 

Produção: BoCA

Parceria: Fundação GDA

Apoios: Ministério da Cultura / Direção-Geral das Artes, Teatro Nacional D. Maria II

Próximos Eventos

ler mais
  • O CARRO FALANTE

    16 junho 2024 — 18 junho 2024
    Wiener festwochen

    AGNIESZKA POLSKA

    A convite da BoCA, Agnieszka Polska cria a sua primeira peça de teatro, com interpretação de Albano Jerónimo, Íris Cayatte, Vera Mantero e Bartosz Bielenia. Um grupo de pessoas viaja num carro que não para. Um espetáculo sobre o papel de alguém preso no complexo sistema de agentes humanos, não-humanos e infraestruturas sociotecnológicas.

    +
  • TERRA COBRE

    18 julho 2024 — 19 julho 2024
    Festival dos Canais

    JOÃO PAIS FILIPE & MARCO DA SILVA FERREIRA

    Nova criação do artista sonoro João Pais Filipe e do dançarino Marco da Silva Ferreira que cruza a arte chocalheira tradicional da vila de Alcáçovas, no Alentejo, com práticas artísticas contemporâneas.

    +
  • O Carro Falante

    06 setembro 2024 — 07 setembro 2024
    Nowy Teatr

    AGNIESZKA POLSKA

    A convite da BoCA, Agnieszka Polska cria a sua primeira peça de teatro, com interpretação de Albano Jerónimo, Íris Cayatte, Vera Mantero e Bartosz Bielenia. Um grupo de pessoas viaja num carro que não para. Um espetáculo sobre o papel de alguém preso no complexo sistema de agentes humanos, não-humanos e infraestruturas sociotecnológicas.

    +
  • O Carro Falante

    09 outubro 2024 — 10 outubro 2024
    HAU Berlim

    AGNIESZKA POLSKA

    A convite da BoCA, Agnieszka Polska cria a sua primeira peça de teatro, com interpretação de Albano Jerónimo, Íris Cayatte, Vera Mantero e Bartosz Bielenia. Um grupo de pessoas viaja num carro que não para. Um espetáculo sobre o papel de alguém preso no complexo sistema de agentes humanos, não-humanos e infraestruturas sociotecnológicas.

    +