PORTUGAL
Nova Criação – Espetáculo de dança

“and STILL we MOVE”

 

E ainda assim nos movemos. A fragilidade enquanto potência, enquanto lugar poético, é o ponto de partida para uma performance que surge da vontade de deslocar o campo privado para o público. As coreógrafas e intérpretes Joana Castro e Maurícia Neves questionam e reconfiguram a relações entre ambas, tendo como base fotografias de arquivo pessoal de uma relac?ão que encontrou o seu fim.

A imagem como lugar de projeção e de construção. A relação entre os corpos fotografados é reabitada ou talvez não, mas nesta experiência mutante entre o passado e o presente a perceção dessas mesmas imagens transforma-se e ganha novos contornos nos corpos das duas artistas. (des)(re)construindo-se noutras formas de existência, entre a efemeridade e a suspensão prolongada do gesto, a performance convoca um espaço de profunda intimidade e efemeridade e da palavra e o prolongamento do gesto, a performance convoca um espac?o de profunda intimidade quase suspensa, que responde à velocidade do mundo lá fora.

O isolamento social a que foram sujeitas, redefiniu a fala, o olhar, o toque e as emoções. As artistas propõem-se a repensar as relações humanas. Como defende Judith Butler: “o ‘eu’ não tem história própria que não seja também a história de uma relac?ão – ou conjunto de relac?ões – com um conjunto de normas”. 

“Uma peça auto-biográfica e política”, que dialoga entre a dança e a performance.
Esta é a nova criação de duas artistas que têm vindo a colaborar continuamente desde 2018. 

Concecão, direção, textos, cenografia e performance: Joana Castro e Maurícia | Neves
Paisagem sonora e voz: Daina Dieva, Joana Castro e Maurícia | Neves
Assistência e aconselhamento artístico: Pietro Romani
Desenho de luz: Vera Martins
Figurinos: Carlota Lagido
Residências artísticas: Nida Art Colony, Mala Voadora, c.e.m, Teatro da Voz, Companhia Portuguesa de Bailado Contemporâneo, TRUST collective, TEMPO, Pro.dança, CAMPUS, GrETUA, Centro de experimentação artística do Vale da Amoreira (Moita), Devir Capa
Apoio à criação: Self-Mistake e CTB – Companhia de Teatro de Braga
Residência de co-produção: O Espaço do Tempo
Residência BoCA: Estúdios Vítor Córdon
Co-produção: BoCA, Teatro das Figuras, Festival Contradanc?a (ASTA)
Apoio à criação: Self-Mistake, CTB – Companhia de Teatro de Braga e Nome Próprio
Apoios: iPortunus, Fundação GDA, Fundação Calouste Gulbenkian,Direção Geral das Artes e Teatro da Garagem

“and STILL we MOVE” é uma comissão da BoCA Bienal de Artes Contemporaneas 2021

 

Próximos Eventos

ler mais
  • O Barco

    08 julho 2022
    Khunstalle Baden Baden

    GRADA KILOMBA

    A primeira instalação de grande escala de Grada Kilomba viaja até à Praça de Margarida Xirgu, frente ao Teatro Lliure, em Barcelona. Composta por 140 blocos de madeira queimada, convida o público a entrar num jardim da memória, no qual poemas descansam sobre blocos de madeira queimada, lembrando histórias e identidades esquecidas. Que histórias são contadas? Onde são contadas? Como são contadas? E contadas por quem? São questões que se colocam ao entrar nesta instalação.

    +
  • Trouble

    24 agosto 2022 — 27 agosto 2022
    Kampnagel, Hamburg

    GUS VAN SANT

    O realizador de cinema Gus Van Sant aventura-se na sua primeira criação de palco com uma equipa portuguesa, um espetáculo de teatro musical inspirado em Andy Warhol e no seu esmagador talento para elevar a ícone as imagens, ao mesmo tempo que escalava como persona e artista a um estatuto de celebridade mundial.

    +
  • Trouble

    15 dezembro 2022 — 18 dezembro 2022
    La Villette, Paris

    GUS VAN SANT

    O realizador de cinema Gus Van Sant aventura-se na sua primeira criação de palco com uma equipa portuguesa, um espetáculo de teatro musical inspirado em Andy Warhol e no seu esmagador talento para elevar a ícone as imagens, ao mesmo tempo que escalava como persona e artista a um estatuto de celebridade mundial.

    +