Alemanha / EUA | Instalação

 

Mundialmente conhecido, William Forsythe é considerado um dos principais coreógrafos do nosso tempo. Durante mais de quatro décadas, criou produções que redefinem o vocabulário do ballet clássico, e a sua abordagem inovadora de coreografia, encenação, iluminação e análise de dança influenciou inúmeros coreógrafos e artistas. Desde os anos 90, paralelamente às suas criações cénicas, Forsythe desenvolveu instalações, esculturas e filmes que chama de “Choreographic Objects” (Objetos Coreográficos). Abalando as linhas entre performance, escultura e instalação, os seus “Choreographic Objects” convidam o espectador a confrontar-se com as ideias fundamentais da coreografia. Esses trabalhos são projetados para estimular o movimento dos visitantes por meio de interações com esculturas cinéticas, projeções de vídeo e ambientes arquitetónicos.

A BoCA apresenta pela primeira vez em Portugal uma das obras que integra a série “Choreographic Objects”. A vídeo-instalação “Alignigung 2” de William Forsythe é apresentada em três museus, das três cidades oficiais da BoCA 2019: o Museu Nacional de Arte Antiga (Lisboa), o Museu Nacional Soares dos Reis (Porto) e o Museu D. Diogo de Sousa (Braga).

“Alignigung 2” apresenta uma coreografia em que os bailarinos Riley Watts e Rauf Yasit (aka “Rubber Legz”) cruzam os seus corpos numa constelação de nós. É oferecido um objeto que subtrai elementos comuns tipicamente associados à coreografia: o desenvolvimento estrutural do tempo e do espaço e o isolamento visual de algumas partes. O entrelaçando dois corpos formam o que Forsythe gosta de chamar de “puzzles ópticos”, pois esse complexo entrelaçar cria enigmas ópticos que frequentemente desafiam a lógica aparente da situação. “Alignigung 2” é um híbrido entre coreografia, filme e escultura, e conta com a colaboração musical de Ryoji Ikeda.

 

Apoio à apresentação: Goethe Institut Lisboa

 

Próximos Eventos

ler mais
  • ECOTEMPORÂNEOS: Beatriz Batarda

    17 abril 2021
    Museu de Lisboa - Palácio Pimenta

    ECOTEMPORÂNEOS

    Ecotemporâneos é um projeto que relaciona a literatura com os espaços verdes da cidade de Lisboa. Aberta, inclusiva e acessível, em cada sessão um novo convidado escolhe um livro e liga-o ao espaço verde onde o público reúne. Conta com a presença de um intérprete de LGP.

    Convidada: Beatriz Batarda (atriz)
    Livro escolhido: "Caderno de Memórias Coloniais" de Isabela Figueiredo
    Espaço verde: Jardim do Palácio Pimenta, Museu de Lisboa (online)

    ler mais